quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Um manual

Voltei meus olhos para a tela do computador. Lá estava estampada a manchete: “Lista de aprovados da Fuvest saiu”. Senti-me uma criança esperando o resultado da prova de português, o coração batia por simplesmente bater. Já sabia que meu nome não se situava na lista – aliás, a certeza disto tranqüilizava-me, e assim pude percorrer os olhos sobre aqueles que haviam passado.

Não conhecia nenhum, eram somente nomes que, provavelmente, estavam sendo lidos no mesmo momento em que eu os lia.

Vi nomes de conhecidos. Conhecidos até demais.

E então parei por um minuto, analisei-me em silêncio. Em um instante poderia jurar que meu nome jamais estaria em uma lista de aprovados. Eu simplesmente não estava pronta, nunca estaria.

Havia nascido pra escrever, fazer poesias sobre a vida e morrer.

Por um lado, isto me acalmou.

Porém chorei.

Como se visse minha vida desabando, chorei. Acreditei veementemente que no ano que vem estaria chorando também. E assim sempre estaria chorando durante toda minha vida.

Porque eles sempre conseguiriam as coisas, e eu somente tentaria, e acharia dificuldades. E não conseguiria.

- Alô?

- Alô. Quem é?

- Sou eu...Hum, gostaria de pedir demissão.

- Vejo seu nome em meu sistema. Que cargo exerce?

- Hã... Nenhum de grande importância.

- Mas preciso saber que cargo a senhora exerce.

- Olha, eu só quero me demitir, tá?

- Entendo. Qual seu sobrenome?

- Moça, se vira!

- Hum... Aguarde um momento.

- Tem que ser rápido.

- Tudo bem, tudo bem. Achei-a. Só mais um momentinho. Pronto, está demitida.

- Obrigada.

- Mais alguma coisa?

- Sim. Vocês vendem o Manual da Vida?


2 comentários:

Daniela Patrício disse...

Acredite, todos se sentem assim! mas eu sei q vc vai conseguir!! e no fundo vc tbm sabe disso...só tem q confiar!!!

Amo vc!!!

Sr. Reticente disse...

E hoje?!
Dois anos depois.
E o manual?!
Viveu, pois?!