quarta-feira, 22 de abril de 2009

Abra só

Eu preciso de um abraço, meio assim, inacabado
Como quem chega de lado na hora de partir,
Olha bem, decide que fica mais um pouco,
E de pouco em pouco, desiste de ir.
Quem me dera o abraço de quem ama
O abraço de quem chama para conversar no canto
Do quarto, diz qualquer coisa relevante e olha reto,
Certo de que o desviar de olhares poderia ser o fim.
Quem me daria um abraço assim, de vontade própria,
Sem ninguém mandar nem fazer receita médica?
Um abraço, menos que amasso, mais que descompasso,
Um abraço que seja uma demonstração de afeto,
Que afete o coração do mais cético ser do mundo.
Um abraço que, em um segundo,
Diga mais que uma longa conversa...
Por isso eu pergunto, por necessidade ou coisa a fim,
Seus dois longos braços saberiam me abraçar assim?

Um comentário:

b-kaixao disse...

Tem que ter coragem e se garantir muito pra te abraçar, né? Huhuhuhuhu.


Beijão.