segunda-feira, 25 de maio de 2009

Água na boca

De repente, parar de pensar nele
para pensar em ti.
Num lance, acordar com teu nome na boca,
saboreá-lo, prestes a revelar-te.
Inventar, rapidamente, novas rimas.
Criar outras fantasias, sonhar outros sonhos.
Não entendo como meu pensamento
pôde tornar-se tão disforme...
Durmo mais uma noite
salivando teu nome.

3 comentários:

Claire disse...

adorei

http://ventaniamaritima.blogspot.com/

b-kaixao disse...

Terminei aquele que não sabia se iria terminar huhuhuhu.

Beijo.

isa disse...

tah muito lindo...
por estanho q pareça axo q serve para mim...
rsrsrsrsrs
bjusss
cat