terça-feira, 5 de maio de 2009

Vai saber

Não que lhe faça falta saber da vida que tenho vivido.
É que afinal de contas, de todos, você é o mais sumido,
E fica difícil entender o motivo, salvo o velho descaso,
Que espero que não seja o seu caso, mas vai saber...

Mas e aí, me conta de você.
Como anda aquela insônia? Espero que curada.
Mas eu posso estar errada, afinal você só sabe sumir.
Seu e-mail eu nem espero mais vir, vou deixar de vez de checar minha caixa de mensagens,
Você vai ver.

Eu tenho ouvido muito samba e rock’n’roll,
A coisa não tá preta, mas estamos chegando lá.
Não é que eu espere que você vá voltar,
Mas saiba que eu troquei a fechadura de casa, sabe como é a violência.
Tem que ter paciência para aguentar ladrão
(bem que eu me recordo da vez que você roubou meu coração).

Mas deixa pra lá, só queria lhe atualizar de mim
E da minha saudade
E da sinceridade com que eu te amo.
Cadê você? Deve ser engano.
Vou desligar o telefone,
Só me lembra do seu nome,
Eu acho que esqueci.

Que nomezinho lindo... repete para eu ouvir?
Bem que eu achava que rimava com o mês de agora.
Mas eu já vou indo embora
Para Pasárgada,
Lá sou amiga do Rei,
Vai que ele baixa um decreto para você aparecer...
Vai saber.

5 comentários:

Antônio Sozinho disse...

Caio?

b-kaixao disse...

Aposto que não sou eu \o/

beijo =*

Caio Tomazini Munhoz Moya disse...

Olha, a minha coleguissima de hobby está em um momento inspirado e de textos muito bem elaborados! Simplesmente, lindos os seus textos. Bela construção!

Beijos

Gabriel Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel Pinto disse...

Para autora desconhecida:

"Mas eu já vou indo embora
Para Pasárgada,
Lá sou amiga do Rei,
Vai que ele baixa um decreto para você aparecer...
Vai saber."