quarta-feira, 3 de junho de 2009

Confessionário

D'us nunca me abriu nenhuma porta.
Desde sempre fui esta pessoa feia e torta.
Uma experiência mal-sucedida de laboratório.
Um ratinho preso na parede do mictório.
Data de validade prevista para já,
e não tenho mais tempo para falar
que amei demais, e por demais, sofri.
Mas quero ressaltar que vivi uma vida sem teto.
Fui intensa até matando inseto...
Mas agora me joguem na cova, sem mais problemas,
e apoderem-se de todos os meus poemas.
Para alguma coisa, no futuro, eles servirão
Ao menos na casa de alguém, como pano de chão.

2 comentários:

b-kaixao disse...

Sumi, mas estou aqui de novo.
Sem tempo pra escrever. (uma pena)

Mas você está bem como sempre.

Beijão, Nêga. Huhuhuhuhu

=*

Antônio Sozinho disse...

wow! augusto dos anjos + leminski?