quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Poderes

Pode ser, pode ser
só sei que pode ser.
Pode ser esquecer,
pode não ser.

Pode ser crescer,
pode ser desfalecer.
Pode ser o ser,
pode não ser o ser.

Pode ser e viver,
pode também ser e morrer.
Só pode-se ser, se ser, ser.

Pode ser o homem no fim
Pode ser o fim do poema
ou pode ser seu nascer.

7 comentários:

frassinetts disse...

pode ser
poder-se
perder-se

maybe disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

guímel disse...

Lindas poesias.
Parabéns

Bjsss

Sr. Reticente disse...

Super Poderes!
Bom fim de semana!
:o)

Determinada disse...

A vida ensinou-me a respeitar :)
Esquisita? Preciosa, rara, incomum, invulgar, delicada, requintada, primorosa... estranha? E quem não é estranho aos olhos de alguém? TODOS SOMOS!! E o facto de sermos obrigados a respeitarmo-nos obriga-nos a conhecermo-nos melhor. E não é isso que ambicionamos? Isso e muito mais :)
Bom fim de semana
Beijos
Muitos

Estava a morrer de saudades tuas ;)

Sr. Reticente disse...

Tem um selo pra você no meu blog...

Abraço!

Ana Agarriberri disse...

Olá! Encontrei teu espaço por meio do "Essas e outras reticências", e és mesmo merecedora do selo que recebeu. Gostei muito daqui. Parabéns pelo blog. Beeejo,beejo.