sábado, 24 de maio de 2008

Bastidores

Há um rosto que não se mostra por trás destas palavras.
Há uma pessoa cansada de doar-se a todo momento.
Há um entristecer-se constante e silencioso.
Há uma vontade de esmaecer tanto lamento...

Quando o rosto se esconde e as mãos escrevem,
Quando a pessoa se doa e não consegue receber,
Quando se entristece silenciosamente,
Quanto se pode ter de vontade de viver?

As luzes se apagam no teatro da vida.
O que era para ser uma história feliz
Hoje é melodrama da novela das oito.

Em um canto, sozinha e encolhida,
A poeta, eterna personagem-atriz,
Esconde da platéia seu coração afoito.

2 comentários:

b-kaixao disse...

Da pra fazer musica disso!

Tas escrevendo como nunca, hein?!

Um dia eu volto a ativa! (Se Deus quiser).

Beijão =*

Daniela Patrício disse...

Nossa... lindo!