domingo, 21 de fevereiro de 2010

Carcará

a Pedro Keiner

De vez em quando faço questão de falar sério
com pessoas e paredes e pedaços de pedra.
Polida, converso e acho que sei do que falo:

assessoria de imprensa, clientes, press release
clipping, monitoramento, follow up,
cartão de banco, cheque em branco, saldo,
maturidade, faculdade, Comunicação Digital,
inclusão digital, universidade pública,
feriado nacional, perda de tempo, eleição,
colégio eleitoral, Lula, Kassab, Dilma, Serra,
Movimento dos Sem-Terra, jornal, politização,
passeata, protesto, força sindical, polícia,
agressão, Ditadura Militar, censura,
opinião pública, porta-voz, em cima do muro,
passado, presente, futuro.

Um dia, por acaso, vou ao Museu da Língua Portuguesa
transformo-me em palavra
para eventualmente
morrer dentro de algum livro.

3 comentários:

P. Frassinetti disse...

a palavra, urge arrancá-la da solidão das páginas!

Antônio Sozinho disse...

Muito, muito obrigado F.!

Gabriel Pinto disse...

Meu Deus!